" />
Published On: sex, fev 6th, 2015

Expectativa de desagravo a Vaccari causa racha no PT

vaccari_saída_polícia_federalA expectativa de que o aniversário de 35 anos do PT seja palco, nesta sexta-feira, de um ato em desagravo ao tesoureiro nacional do partido, João Vaccari Neto, já provoca divisões até entre petistas. A Mensagem ao Partido, uma das principais correntes internas do PT, decidiu na manhã desta sexta-feira que vai se posicionar contra qualquer tentativa de desagravo a Vaccari, apontado por delatores do Petrolão como um dos operadores do esquema de propinas na Petrobras. Um dos principais representantes da Mensagem ao Partido, ao lado do ministro da Justiça, o “porquinho” José Eduardo Cardozo, o ex-governador do Rio Grande do Sul, o peremptório “grilo falante” e tenente artilheiro e poeta de mão cheia Tarso Genro, tem defendido que o PT nomeie um advogado para estudar os autos da Operação Lava Jato, averiguar se houve responsabilidade de filiados ao PT no esquema e, se comprovada participação, que a direção partidária afaste os envolvidos. É muito cinismo. Afinal, o Delúbio Soares não está até hoje no partido e não é aclamado como herói do povo brasileiro? A corrente se reuniu nesta manhã para definir o posicionamento na reunião do Diretório Nacional que antecede a comemoração pelos 35 anos do PT, em Belo Horizonte. A presidente Dilma Rousseff participa do ato festivo, a partir das 19h15. Segundo relatos, em clima exaltado, alguns líderes da Mensagem ameaçaram abandonar a reunião do Diretório caso haja qualquer tipo de desagravo a Vaccari. A direção nacional do PT nega as acusações de desvios da Petrobras para o partido e, junto com a corrente majoritária Construindo um Novo Brasil (CNB), saiu em defesa do tesoureiro na quinta-feira. A reação da Mensagem fez com que integrantes da CNB começassem recuar da proposta de desagravo a Vaccari sob o argumento de que não surgiram fatos novos contra o tesoureiro nas últimas horas e, portanto, a iniciativa seria desnecessária. O ex-presidente Lula X9 (alcaguete que delatava companheiros para o Dops paulista durante a ditadura militar, conforme Romeu Tuma Jr, em seu livro “Assassinato de reputações”) é esperado na reunião do diretório petista. Caso a presença se confirme, será, segundo dirigentes, a primeira vez que Lula participa de um encontro da instância partidária desde que assumiu a Presidência, em 2003.

About the Author